sábado , outubro 20 2018
Home / Alagoas / Reserva técnica do concurso da Uncisal cobra nomeação

Reserva técnica do concurso da Uncisal cobra nomeação

Data: 17/05/2018
prova-ppppppIntegrantes da Reserva Técnica do concurso da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (Uncisal) realizaram um ato nesta quinta-feira (17) em frente à Maternidade Escola Santa Mônica, em Maceió. Eles cobram convocação e nomeação dos candidatos aprovados em 2014.

Segundo a organização, cerca de 150 pessoas participaram do ato.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social e Trabalho no Estado de Alagoas (Sindprev), o governo vem contratando profissionais terceirizados para atuar na Maternidade Santa Mônica, sem antes nomear os profissionais que estão na reserva técnica.

“Nós temos uma reserva técnica para mais de 270 servidores que estão aguardando ser nomeados e o governador se recusa a fazer a nomeação alegando sempre a lei de responsabilidade fiscal e o impacto financeiro”, afirmou a integrante do Sindprev, Olga Chagas.

Por meio de nota, a Uncisal afirma que reitera o compromisso com a reserva técnica do concurso público realizado em 2014.

“O recadastramento dos servidores estaduais, concluído no dia 15 de maio, e o dimensionamento das necessidades da unidades assistenciais da Uncisal devem subsidiar as nomeações feitas pela Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag)”, diz um trecho da nota.

De acordo com Chagas, houve tentativas de negociação com o governo, mas o acordo não foi cumprido. “A gente já teve uma reunião com o governador e foi acordado que ao invés de contratar terceirizados, ele pudesse colocar a reserva técnica para assumir esses trabalhos”, disse Chagas.

Outra reivindicação feita pelo grupo é que os servidores da Maternidade Escola Santa Mônica não estão recebendo a gratificação Rede Cegonha, destinada a todos os profissionais que lidam diretamente com recém-nascidos.

“Pra gente é muito ruim porque não está dando um tratamento isonômico, uma vez que essa gratificação atende todos os trabalhadores que atendem diretamente o recém-nascido e o grupo que está de fora do recebimento dessa gratificação são trabalhadores que fazem atividades dentro da UCI”, alegou Olga Chagas.

 

Fonte: G1/AL

Compartilhe com seus amigos
Share on FacebookTweet about this on TwitterPrint this pageEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *