quinta-feira , dezembro 13 2018
Home / Valdi Fernando / AGORA É PRA VALER..EM BUSCA DO HEXA…BRASIL X SUIÇA

AGORA É PRA VALER..EM BUSCA DO HEXA…BRASIL X SUIÇA

Data: 16/06/2018

Agora é para valer. A seleção brasileira chegou embalada à Rússia graças ao excepcional trabalho realizado por Tite e sua comissão nos últimos dois anos e cercada por um ambiente de calmaria e otimismo. E a boa fase será colocada à prova neste domingo, a partir das 15h (de Brasília), na estreia da Copa do Mundo diante da respeitável seleção da Suíça, na quente Rostov. De toda a primeira fase, este é o jogo que envolve as seleções mais bem posicionadas no ranking da Fifa: o Brasil é o segundo colocado e a Suíça, a sexta.

De penteado mais loiro, Neymar está confirmado e é a grande atração da partida. Segundo o técnico Tite, ele ainda sente os efeitos da lesão no quinto metatarso do pé direito, mas está pronto para brilhar novamente, como já fez nos últimos amistosos. “O Neymar não está 100%, mas é muito privilegiado fisicamente. Os índices de sprints em velocidade máxima são impressionantes e ele não perdeu nada. Não está em sua plenitude, mas já está bem mais evoluído do que pensávamos e está em condições de fazer uma grande partida.”

Tite manterá o rodízio de braçadeiras na Copa do Mundo e elegeu o lateral Marcelo, de 30 anos, seu primeiro capitão. “Gosto de usar a faixa, estou representando meu país. Lá atrás, quando somos crianças, jogando bola na rua ou na praia, nosso objetivo é vestir a camisa da seleção e hoje estou nesta situação e com a faixa de capitão, não tem nada melhor que isso”, afirmou o jogador do Real Madrid.

O ataque com Willian, Philippe Coutinho, Neymar e Gabriel Jesus será mantido e, segundo Tite, a troca de passes desde a defesa será uma marca de sua equipe no Mundial. “É nossa ideia de futebol, baseada nas características dos atletas, não porque o técnico quer. O técnico se adapta às características dos atletas, Coutinho e Neymar preferem bola no chão, vamos tentar trabalhar desta forma.”

O meia Fred, do Manchester United, que lesionou o tornozelo direito em dividida com Casemiro há duas semanas, será o único desfalque para estreia. “Todos os outros estão em condições e preparados para o jogo de amanhã.”

Os perigos da boa equipe suíça

Uma das seleções mais multiculturais da Copa – tem 15 atletas nascidos em outros países ou filhos de estrangeiros – a Suíça cresceu muito sob o comando do técnico Vladmir Petkovic. Na véspera, ele garantiu que o tal “ferrolho suíço”, marcado por suas equipes muito defensivas ao longo das Copas, não existe mais. “Nem sempre precisamos ficar defensivos, precisamos fazer um gol e tentar ganhar o jogo.”

Cleber Xavier, auxiliar de Tite presente na coletiva, concorda e chegou a dizer que este será um dos adversários mais complicados para o Brasil em todo o trabalho da nova comissão. “A Suíça, depois da Copa de 2014, mudou um pouco seu estilo. É mais equilibrada, ofensiva, fez uma grande eliminatória, e que tem força pelos lados, com Rodriguez, Shaqiri, Xhaka, Lichsteiner, é uma equipe que defende bem e sai para o contra-ataque. Das equipes que temos enfrentando, me parece ser a mais forte que vamos enfrentar até agora, claro, com exceção da Alemanha.” Os destaques do time são o meia Granit Xhaka, do Arsenal, e o atacante Xherdan Shaqiri, do Stoke City.

O capitão da equipe suíça, o experiente Stephan Lichsteiner, da Juventus, admitiu que Neymar é uma preocupação constante para sua equipe. “É praticamente impossível neutralizar o Neymar totalmente em 90 minutos. Depois do Cristiano Ronaldo e do Messi ele é o mais completo. Mas a questão é impor a nossa forma de jogar e usar a nossa forma de jogar.”

Lichsteiner ainda afirmou que o clima quente, de cerca de 25° à noite, não atrapalhará a equipe suíça. “Seria fácil demais dizer que vamos perder por conta do clima. Mas não é assim. Queremos uma solução e não uma desculpa.” E garantiu que a Suíça jogará sem medo. “Vamos correr para frente também.”

Brasil e Suíça integram o Grupo E do Mundial, ao lado de Costa Rica e Sérvia, que se enfrentam neste domingo, às 9h (de Brasília), em Samara.

Veja quais são os jogos da Copa 2018 neste domingo, dia 17

O quarto dia da Copa do Mundo de 2018 começa neste domingo, 17, com três partidas dos grupos E e F. O destaque é a estreia da seleção brasileira no Mundial da Rússia contra a Suíça. A atual campeã competição, Alemanha, enfrenta o México na estreia.

A rodada começa com o jogo entre Costa Rica e Sérvia, azarões do Grupo do E, a partir das 9h (de Brasília), na Arena Samara. A Costa Rica sonha em repetir o desempenho do último Mundia, quando chegaram às quartas de final e só caíram nos pênaltis diante da Holanda. Para isso, contam com a estrela do goleiro Keylor Navas, do Real Madrid. A Sérvia retorna à Copa depois de oito anos e conta com a experiência de Nemanja Matic, volante do Manchester United, e com o prodígio Sergej Milinkovic-Savic, destaque da Lazio.

O segundo jogo do dia é entre Alemanha e México, às 12h (de Brasília), no Estádio Lujniki, em Moscou, pelo Grupo F. Os alemães são novamente um dos favoritos ao título, tentando repetir o feito de 2014. A seleção tetracampeã chega à Copa do Mundo com a mesma base de jogadores da última edição, com destaque para o goleiro Neuer, recuperado de lesão, e o meia Toni Kroos, um dos melhores jogadores em 2014. Além da experiência, os alemães mantém o mesmo estilo de jogo, com paciência e destreza nos passes, dominando boa parte das partidas que disputa. Aposentado, Miroslav Klose, maior artilheiro da história das Copas, agora trabalha como assistente técnico do treinador Joachim Löw.

O México chega ao Mundial sob o comando por Juan Carlos Osorio, e vem apresentando instabilidade. Neste ano, os mexicanos venceram três jogos em seis disputados. A seleção tricolor chega à Rússia com uma geração experiente, com nomes como Javier “Chicharito” Hernández, Giovani dos Santos e Rafa Márquez.

O terceiro jogo do dia é o mais esperado pelos brasileiros, pois a seleção entra em campo pela primeira vez na Copa do Mundo. A partida será contra a Suíça, às 15h (de Brasília), na Arena Rostov, pelo Grupo E. Depois de um Mundial marcado pelo nervosismo e pela pressão de vencer em casa, o clima entre jogadores e torcedores em 2018 é de otimismo e leveza. O responsável pela mudança de comportamento é o técnico Tite, que recuperou a seleção e espantou o fantasma da derrota por 7 a 1 sofrida para a Alemanha nas semifinais em 2014. O Brasil tem como esperança o quarteto ofensivo de Tite, formado por Philippe Coutinho, Willian, Neymar e Gabriel Jesus, além da experiência do habilidoso lateral Marcelo. Apesar do poderio ofensivo, a defesa é a primeira prioridade da seleção de Tite, que não levou gols em nenhum dos quatro jogos disputados neste ano

A Suíça precisa mais do que nunca do seu tradicional sistema defensivo e promete apresentar dificuldades aos brasileiros. O elenco do técnico Vladimir Petkovic não conta com grandes nomes do futebol mundial, os destaques da equipe são Xherdan Shaqiri, ex-Bayern de Munique e Granit Xhaka, do Arsenal. Mas a seleção suíça está invicta em 2018, com três vitórias e um empate em 1 a 1 contra a Espanha.

Compartilhe com seus amigos
Share on FacebookTweet about this on TwitterPrint this pageEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *