sexta-feira , agosto 23 2019
Home / Alagoas / Ifal tem R$ 18 milhões bloqueados; reitor teme que pesquisas sejam afetadas

Ifal tem R$ 18 milhões bloqueados; reitor teme que pesquisas sejam afetadas

Data: 04/05/2019

Sem título
O bloqueio de parte das verbas para instituições de ensino federais, anunciado pelo Ministério da Educação, pode afetar o andamento de pesquisas em todas os campi do Instituto Federal de Alagoas (Ifal). É o que afirma o reitor da instituição, que teve R$ 18,5 milhões bloqueados.

O orçamento bloqueado pelo MEC foi o de custeio, utilizado para pagar água, luz, combustível, funcionários terceirizados e bolsas. Em entrevista ao G1 nesta sexta-feira (3), o reitor do Ifal, Sérgio Teixeira Costa, disse que esse bloqueio foi maior do que o esperado.

“O orçamento de custeio previsto para todo o ano era de R$ 50, 3 milhões. Nós sofremos um corte de 36,89%, o que representa R$ 18,5 milhões a menos. Tivemos a informação quando abrimos o [Sistema da Administração Financeira] Siafi ontem. Foi um impacto, porque estávamos prevendo 25% de corte, mas veio maior, um volume muito grande de dinheiro”, afirma o reitor.

Na quinta (2), a Universidade Federal de Alagoas (Ufal) já havia anunciado que sofreu corte no orçamento de quase R$ 40 milhões.

Ainda segundo o reitor do Ifal, a redução pode afetar os mais de 200 projetos de pesquisa e 300 de extensão que vêm sendo realizadas por alunos e professores.

“As análises preliminares mostram que só temos dinheiro para funcionar até outubro. É inviável, é absurdo, é muito dinheiro de um orçamento que já estava defasado. Nem na crise de 2014 chegamos a esse ponto. Se não desbloquear mais dinheiro, teremos que começar a diminuir o tempo de bolsa. Uma coisa boa é que não cortaram a assistência estudantil, mas não adianta essa assistência se a escola fechar por conta das outras coisas”, ressalta.

Em portaria publicada na última terça (30), o reitor determinou uma série de medidas a serem tomadas pelos 16 campi e 15 polos de educação a distância do Ifal para diminuir gastos. Entre elas, a suspensão de eventos e visitas técnicas com pernoite, além da redução no uso de água e energia.

“Na segunda (6), teremos uma reunião com todos os diretores para dar orientações. Cada diretor vai apresentar seu planejamento orçamentário, para ver onde é que pode ter redução. Vamos fazer uma campanha para a redução do consumo de energia, água e combustível”, explica.

Na próxima semana, o Conselho das Instituições da Rede federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) vai reunir reitores dos IFs de todo o país para debater o assunto. Eles devem ser recebidos também pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, e por uma comissão de Deputados Federais.

Na terça, o Ministério da Educação afirmou que o bloqueio na verba das instituições de ensino federais vai valer para todas as universidades e todos os institutos do país. A informação foi dada à TV Globo por Arnaldo Barbosa de Lima Junior, secretário de Educação Superior do MEC. Segundo ele, trata-se de um “bloqueio” que foi feito “de forma preventiva” e “só sobre o segundo semestre”.

 

por Derek Gustavo-G1/AL

Compartilhe com seus amigos
Share on FacebookTweet about this on TwitterPrint this pageEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *