segunda-feira , dezembro 9 2019
Home / Alagoas / Policiais civis ameaçam paralisação das atividades no Natal e réveillon em Alagoas

Policiais civis ameaçam paralisação das atividades no Natal e réveillon em Alagoas

Data: 03/12/2019

Sem título
Nesta quinta-feira (5), a partir das 8h, o Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) realizará um ato público em frente à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). A motivação é a cobrança do reajuste do piso salarial, além de outros itens da pauta de reivindicações. Caso a situação não seja definida por parte do Governo do Estado, a categoria tende a paralisar as atividades no Natal e réveillon.

De acordo com o Sindpol, o secretário Especial de Gestão e Patrimônio, Sérgio de Figueirêdo Silveira, havia se comprometido de realizar duas reuniões com a categoria, sendo uma novembro e outra na  primeira semana de dezembro, para dar resposta às reivindicações dos policiais civis, como aumento do piso salarial, a compensação financeira com o aumento da carga horária de 30 para 40 horas, a verba de vestimenta, a periculosidade, a unificação de carreiras pela base com a nomenclatura Oficial Policial Civil (OPC), o Serviço Policial Voluntário (SPV), a revisão do Plano de Cargos Carreiras e Subsídios da Parte Permanente, entre outros itens. As reunião não foram agendadas, aumentando o descontentamento da categoria.

Ainda conforme o Sindpol, o presidente do sindicato, Ricardo Nazário, chegou a entrar em contato com a chefe de Gabinete da Seplag, Emanuelle Nogueira, mas não obteve resposta quanto às reuniões com o secretário.

A partir disso e das indefinições no que diz respeito às reivindicações, a diretoria do Sindpol decidiu realizar um ato público para os agentes e escrivães a fim de, segundo a categoria, mostrarem a indignação com a desvalorização dos profissionais, que são os únicos da segurança pública com nível superior que recebem o pior piso salarial em Alagoas.

Além disso, conforme o Sindpol, o soldado da Polícia Militar, categoria de nível médio, está recebendo salário maior que o piso salarial dos agentes e escrivães. Os delegados também obtiveram 29% de reajuste salarial neste ano, e nada foi concedido aos agentes e escrivães que já acumulam perdas salariais de 16%.

A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) informa que tem procurado resolver todos os pleitos dos policiais civis de Alagoas e que a Mesa de Negociação continua sendo o canal de diálogo com os servidores públicos estaduais.

Além disso, a pasta ressalta que vem se empenhando nas análises para a viabilização da realização de concurso público para a categoria, que deve reforçar o quadro de pessoal e otimizar os processos e procedimentos da área.

 

 

Fonte: CadaMinuto

Compartilhe com seus amigos
Share on FacebookTweet about this on TwitterPrint this pageEmail this to someone