.:: OparaNews ::. Penedo Alagoas

Prefeito Ronaldo Lopes orienta equipe sobre alerta para situação de cheia em Penedo

O Prefeito Ronaldo Lopes reuniu parte da equipe do governo para orientar o trabalho de prevenção a respeito da possibilidade de inundação de localidades situadas à margem do Rio São Francisco.

A reunião realizada na manhã desta quarta-feira, 12, contou ainda com a presença do presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco, Maciel Oliveira, e representantes do 11º Batalhão de Polícia Militar e do 6º Grupamento de Bombeiros Militar, órgãos das forças de segurança estadual com quartel instalado em Penedo.

Ronaldo Lopes determinou a realização de levantamento das áreas com maior possibilidade de inundação, na cidade e na zona rural, assim como a disponibilidade de espaços para eventual necessidade de acolhimento para desabrigados.

A desobstrução dos canais que levam água do rio para a lagoa do Oiteiro e a destinação de máquinas (retroescavadeiras e caçambas) para a realização de serviços já está autorizada, assim como a regularização do acesso ao povoado Ilha das Canas.

O trabalho inicial da Prefeitura de Penedo envolve diretamente ações que serão coordenadas pela Defesa Civil Municipal, setor coordenado por Geraldo Sabino com apoio de servidores das secretarias municipais de Saúde, Serviços Públicos, Meio Ambiente, Infraestrutura e Desenvolvimento Social.

As medidas preventivas se fazem necessárias em função do aumento gradativo de água represada nas barragens das usinas hidroelétricas do Rio São Francisco. O aumento é decorrente das chuvas em Minas Gerais, situação que aumentou o nível dos reservatórios.

“O momento não é de alarde, mas algumas medidas preventivas precisam ser tomadas com a comissão que formamos hoje e vamos manter a população informada já que essa cheia vai acontecer aos poucos”, disse Ronaldo Lopes em seu pronunciamento divulgado em vídeo.

De acordo com a CHESF, a vazão em Xingó (Alagoas) terá aumento crescente a partir de hoje, 12, quando a represa libera mil metros cúbicos por segundo (1.000/m³). A cada dois dias, haverá um acréscimo até atingir 4.000/m³ no próximo dia 24.

Diante desse panorama, é importante que os moradores das localidades mais próximas das margens do rio e que das pessoas que vivem em ilhas comecem a providenciar a mudança para locais mais seguros, assim como o deslocamento de animais.

 

por Fernando Vinícius – Decom PMP

 

Compartilhe com seus amigos